terça-feira, 16 de junho de 2009

Relato: De São Paulo à Estiva

Ruberval disse: "Só existem dois tipos de cicloturistas: Os que já pedalaram debaixo de chuva forte e os que ainda irão pedalar".

Essa foi a frase que ficou na minha cabeça durante a quarta-feira, véspera da viagem. Penso que todos os intrépidos amigos que foram também pensaram sobre ela.

Claudio "Space Trader", Mauricio Kamal, João, Fernando e eu (FabioTux) resolveram não dar bola pro mau tempo e encarar a jornada de mais de 200km, saindo do Turucurvi em direção à Estiva, Sul de Minas.

A viagem foi dividida em 2 etapas, sendo a primeira da Estação Tucuruvi do Metrô até Extrema e a segunda de Extrema à Estiva, no Sítio que outrora pertenceu a Família do Claudio.

4:30 da Manhã, o relógio despertou e mais uma vez me veio a frase do Ruberval...melhor levantar e tomar um banho logo, antes que eu minha esposa me "obrigue" a ficar...

As 5 e qualquer coisa, desci c/ a bike e bagagens. Logo a Van do Bita, cunhado do João, apareceu, já com as bikes do João e do Fernando devidamente amarradas.

Fiquei muito grato ao João e ao Fernando, pois ambos foram à Decathlon na noite anterior pra comprar "sabe-deus-o-que" e fizeram a gentileza de me trazer uma Capa de Chuva. Vou pagar essa capa com o maior gosto...aguardem e saberão por que.

Olha aí a cara dos caras, às 5 e qq coisa:

Fernando, João e o "Bita" (motorista e cunhado do João).

Tudo pronto, vamos embora! Uma olhadinha pra tras, já deu uma saudade...mas vamos lá!

Chegamos ao Tucuruvi às 6:10 e não demorou mais que 5 minutos para o Cláudio e o Kamal também aparecerem.
Cumprimentos, fotos na frente da estação de metrô e finalmente começamos nossa jornada.


Maurício Kamal, Cláudio, João e Fernando


FabioTux, João, Claudio e Fernando

Com algumas gotas da famosa garoa paulistana, cruzamos uma feira-livre, que de forma alegre, nos "ovacionou" enquanto passávamos...foi engraçado e estimulante!

Uma paradinha rápida pra um caldinho de cana, água e uma foto do pessoal da barraca, e eis que aquelas gotinhas viram uma leve chuva.






Como dá pra ver, João, Fernando e eu estavamos devidamente protegidos c/ nossas capas de chuva, Kamal com uma blusa que acredito que tenha segurando bem a chuva e o Claudião, só com sua roupa de ciclismo e um manguito...não queria estar na pele dele! hehe!!!

Um pequeno incidente foi evitado pela atenção do Fernando...o pneu traseiro do João estava mal posicionado, prestes a dar um "Snake Bite" na câmara de ar dele. Uma paradinha pra acertar e vamos tocando o barco.

Outro incidente, no início da Serrinha da Cantareira: um "Chain Suck" que tirou o Kamal da estrada por alguns minutos.
Cláudio e eu, que estavamos mais à frente, descemos. Com a ajuda do meu canivete Hans Tools (olha o merchandise), consegui desprender a corrente da coroa e, vamos-que-vamos!

A Serrinha da Cantareira é bastante tranquila. Logo estávamos de frente com a placa de Mairiporã. Paradinha pra fotos, afinal de contas, era o primeiro "marco" da viagem.




Ah, fato engraçado: O João quase esqueceu de levar a mochila no banco do ponto de onibus...não fosse o Fernando ele teria chegado ao destino sem ela!

Bien, hora de começar a descer...um medo desgraçado de cair com o piso molhado e liso.
Foi divertido, mas todos desceram com um certo grau de prudencia.

Tocamos até um bairro em Mairiporã, onde paramos pra comprar algumas coisas, inclusive algo inusitado: Amendoim com Alho frito.
Esse que virou nosso amigo de toda a jornada, rendeu piadas do tipo [sotaque lusitano] Quer Alho? [/sotaque lusitano]...
Vamos pedalando, ritmo de passeio, já sem a chuva, até uma espécie de barragem. Paradinha pra mais fotos, aquela coisa...









Paradinha na placa da estrada de Nazaré Paulista pra reagrupar...e tome pedal.
Nessa altura do campeonato, já tinha gente tirando a sapatilha/tenis pra torcer a meia...hehehe!
O Nosso amigo Kamal acabou ficando c/ tanto calor que ficou só com a camisa de ciclismo, sem mangas, diga-se de passagem!
Pena não termos tirado foto...



Um pouco de Rodovia, pegando um pedaço da D. Pedro I pra chegar à Nazaré e de lá até perto de Bom Jesus dos Perdões, com direito a uma paradinha as 11:30+/- pra comer.
No posto onde paramos, fiquei irritado com a quebra da máquina de café expresso...tava louco por um cafezinho...(lembrei do Waldson, que curte um café).

Voltando à estrada, saimos da Rodovia pra pegar o acesso à Piracaia. Nesse trecho até rolou um revezamento entre o Claudião e eu, enquanto os outros 3 estavam em ritmo mais tranquilo...

De Piracaia, pegamos a SP 036 até a entrada de Joanópolis. No caminho encontramos dois bikers que estavam fazendo o Caminho da Fé. Eles tinham saído de Mairiporã com um grupo maior que vinha logo atras.

Chegando à entrada de Joanópolis, fotinhos, [sotaque lusitano] Quer Alho? [/sotaque lusitano] e vamos nos praparando pra vencer a etapa que seria a mais cansativa e ao mesmo tempo, a mais deslumbrante: 18km entre Joanópolis e a Rod. Fernão Dias, alguns kms antes da meta.



O visual é lindo, há vários condomínios residenciais, fazendinhas, pequenos bairros, e muuuuuuuita subida.
Nessa sequencia de 18km de sobe-e-desce, não paramos pra reagrupar. Eram tantas subidas que, se parássemos, não teriamos ânimo pra continuar...

Chegamos às margens da Fernão Dias na seguinte sequencia: Claudio/FabioTux às 16:10, João e Fernando às 16:35 e o Kamal, que "pregou" no caminho e teve de empurrar boa parte do caminho, as 16:50.
O Kamal foi pego pela falta de combustível, mas teve sorte em encontrar um botequinho no caminho, onde pôde comprar bolachinhas e isotônico.

Todos reagrupados, vamos pra ultima etapa, que é chegar finalmente à Extrema.
O Claudio tinha o contato de uma pousada que supostamente ficava perto do centro, mas pudemos averiguar que ficava na periferia, o que inviabilizaria um jantar legal (sic), então decidimos ir ao centro da cidade.



Lá encontramos 2 bikers (que na verdade passaram pela gente no pórtico da cidade e foram consultados noutro momento sobre a pousada que o Claudio tinha o contato).
Lá no centro, eles gentilmente nos levaram à uma pousada, que infelizmente estava lotada, e depois noutra, que finalmente conseguimos ficar.

Check-in na pousada, hora de tirar a roupa molhada, suada, suja e fétida, tomar um belo banho (bom...belo banho só pra quem usou o chuveiro do banheiro feminino, pois o masculino...DEUS ME DEFENDA!).

Todos de banho tomado, cheirosos, apresentáveis (ou quase), hora de "rangar". Eu tava louco pra comer um belo tutu mineiro, mas fui obrigado a sucumbir à comida de paulistano: Pizza!
A Pizzaria que encontramos era legal...mandamos duas redondas pra dentro, passamos num botequinho na praça pra tomar 3 cervejinhas e finalmente...berço!!!

Eu capotei de tal jeito que a galera disse que não deu 5 minutos e eu já estava roncando, com luz acesa e TV ligado c/ volume "no talo"!
O João (segundo o Claudio) apagou antes de deitar! hehehe!
Penso que a maioria do pessoal dormiu antes das 21hrs, afinal o dia seguinte tinha mais 90km pra cobrir.

6:10, hora de tirar a carcaça da cama!
Como eu tinha tomado um banho horrível na noite anterior, fui pra minha redenção...que banho bom! Agua quente de verdade!!! Agora vamos tomar café!

Um belo café, servido pelo Sr. Luiz (da pousada). Cafezinho, Leite, Pãozinho, frios, suquinho de morango c/ leite, bolo de laranja, biscoitinhos doces e salgados...que beleza!

Bien, galera...7:40hrs, melhor cair na estrada. Levamos as bikes pra praça, mas o Claudião foi chamado pela Natureza...enquanto ele responde ao chamado da Natureza, vamos tirando fotos...






Olha o SpaceTrader, que tinha acabado de voltar!!!

"Vambora"?
As 8:00, pegamos a estrada de novo...e adivinha: Chuva!!! Ela nos acompanhou por vários KMs.
Dá só uma olhada em como tava o clima no começo do pedal:




Sem medo de ser feliz..."vamo socar a bota!"

Como estávamos na Rodovia Fernão Dias, o pedal rendeu bem. Passamos rápido por Itapeva, Camanducaia, Cambuí e finalmente Estiva.
Só tivemos uma grande parada para reagrumar, que deixou todo mundo gelado!
Ah, o João quase esqueceu de novo a mochila no Ponto de Ônibus...bicho esquecido...hehehe!

As velocidades estavam boas, a galera andou entre 28 e 35km/h o que nos fez chegar à placa que indicava que estávamos em Estiva às 11 e qualquer coisa.
O João até parou no meio da estrada pra comprar uma caixinha de morangos e vir comendo durante o trajeto. Ainda bem que sobrou uns 2 pra mim! hahahaha!!


Pouco antes do João trazer os Morangos...hehehe!

Indo pra cidade, já estávamos sendo esperados no "Geraldo" (uma lanchonete nas dependências de um supermercado) pelo Sogro/Sogra/Namorada do Claudio. Pessoal gente-fina, nos recebeu muito bem...

Olha só a foto da Galera:



Olha a fome da galerinha!!! hehehehe!

Pra quem acha que acabou, falta o trecho de terra, quer dizer, lama...muita lama, do "Geraldo" até o Sítio...

Sorrisos na cara, encaramos a estrada de terra, coisa de uns 8km até o sítio. Teve trechos de ter de empurrar de tão liso que estava. Os pneus estavam tão enlameados que não tinha tração pra seguir pedalando.

Finalmente, depois de mais de 220km de chuva, vento-contra, subidas, descidas, barro e outros deliciosos ingredientes, chegamos ao sítio.

O Fernando e o Cláudio, adoradores de barro, chegaram primeiro e pelo jeito a namorada do Claudião não registrou a chegada na porteira do sítio, mas os outros 3 tiveram esse momento fotografado:


FabioTux;


Mr. John


Mr. Kamal

Estado em que a minha "bike lindona" (como dizem o SuperWaldson e o Betão) chegou ao destino:
Adicionar imagem
Logo que chegamos, lavamos as bikes, tomamos banho, bebemos uma deliciosa cachacinha de alambique, almoçamos e ficamos horas conversando à mesa, ao som da "vitrolinha" do Claudio, com clássicos do Rei Roberto Carlos...

Olha aí a mesa ficando pronto pro almoço:


As 17 e qualquer coisa, o João foi até a "cidade" atras da VAN que nos levaria de volta pra SP.

VAN na área, é só embarcar as bikes, nos despedir e seguir viagem, agora confortavelmente sentados e aquecidos pelo ar-condicionado.

Trivias musicais, papos, bocejos, ligações de esposa irritada c/ o atraso (eitcha Kamal), chegamos à SP.
Entregamos primeiro o Kamal e logo depois finalmente chegarmos ao derradeiro destino: Cotia.

Rapidinho estavamos na nossa cidade e, ao desembarcar e me despedir da galera, senti aquela sensação de desafio vencido, além da felicidade de ter feito mais amigos.

É isso aí!

Gostariamos de deixar o nosso agradecimento aos Sogros e a Namorada do Claudião, ao Bita, a galera do Fórum que acompanhou até a vespera da viagem e principalmente às nossas esposas/namoradas que, mesmo sabendo que dia 12/06 é o dia dos namorados, nos concedeu o "Habeas Corpus" para viajarmos!

Mais algumas paisagens do percurso...

























Ficaram arrependidos por não ir??? Quem sabe na próxima você não esteja conosco!!!

Abraço e até a próxima!!!

Nenhum comentário: