terça-feira, 28 de setembro de 2010

São Paulo/SP - Paraty/RJ - Parte 4

Uma ótima noite de sono. Sim...a noite foi muito bem dormida, pois haviamos dormido mais cedo que nos outros dias.
Acordei cedinho, logo Einstein também acordou. A arrumação se deu bem rapidamente e logo estávamos tomando café da manhã.
















Olha a vista que tínhamos, enquanto nos alimentavamos:
















Terminado o café, colocamos tudo nas bikes e despedimo-nos de Ubatuba.
















Com tchauzinho e tudo mais!
















Não preciso dizer que as paisagens continuaram maravilhosamente lindas! Cada curva, subida, descida e afins, tinha uma paisagem que valia muito parar e registrar.
















Deu até pra gente abusar das nossas pretensas habilidades de fotógrafos. Essa foto, por exemplo, foi tirada pelo Einstein:
















Inclusive, encontramos num dos mirantes onde paramos, um Casal Belga, usando um charmoso Motorhome (que os infelizes aqui não tiraram foto).
O casal desceu e trocou algumas palavras conosco. Acho que pra eles é bem comum a idéia do cicloturismo, haja vista que na Europa isso é muito comum.

A estrada é minha única queixa nesse trecho. Em determinadas partes, o asfalto é extremamente áspero e o acostamento cheio de pedriscos, mas em outros pontos, ele torna-se lisinho e confortável.

O caminho tinha vários tobogãs, um sobe-e-desce até que agradável. A quase ausência de pessoas dá ao lugar uma tranquilidade imensa.
O Einstein até fez uma citação, de que é muito lindo onde o homem não põe a mão.

Acho que esse foi o trecho onde mais paramos pra tirar fotos.
Uma delas é a minha predileta:





















O dia estava bem quente, então em um ponto da estrada, vimos uma magueira improvisando um chuveirinho, às margens da rodovia. O Einstein não pensou duas vezes: Vamos molhar a cabeça pra refrescar?
















Seguindo a estrada, logo começamos ver as placas, pintadas à mão da famosa "Linguiça na Chapa", tão falada pelo Mestre Waldson. Não deu outra: paramos pra conferir.

A princípio, é um "cafofo" no meio do nada. Fica exatamente a 3km da divisa entre SP e RJ.
































Pedimos o sanduiche de linguiça na chapa, com vinagrete e queijo...putz que delícia!
Nem tirei foto do bicho pra não matar vocês de inveja! ;)

Devorado o bicho, com uma Coca pra descer suave, voltamos a estrada, vendo ao longe, no final da subida as placas que indicavam a divisa.
Subimos bem tranquilamente...e enfim, estavamos no Rio de Janeiro!
















Agora falta pouco...mais uns 30km +/-. Cada KM a paisagem ia mudando, ganhando traços de "civilização". Outdoors, placas, casas, mais carros...mas não deixava de ficar bonita.
































Que alegria! Estavamos bem pertinho de chegar a nossa meta.

Na entrada da cidade, a alegria de estar em Paraty, quase 400km de distância de casa, depois de tudo que passamos veio numa pancada só!
A emoção de completar um percurso é grande!
Como vocês devem saber, Paraty é o final da Estrada Real. Obvio que paramos em frente ao marco pra tirar fotos:
































Dai pra frente, foi seguir as instruções que recebemos do Mestre Waldson, pra seguir até a Praia do Pontal.
Logo que você chega ao Centro Histórico, tem um balcão de Informações Turísticas.
O pessoal lá atende com a maior atenção. Perguntei o caminho pra chegar a tal praia e fui instruído e ainda peguei um encartezinho com um mapa!

Alguns minutos empurrando a bike pelas ruas de pedra do Centro Histórico, chegamos a Praia do Pontal e achamos 2 hostels e algumas pousadas. Acabamos decidindo pela Pousada do Imperador.
















Fomos atendidos pelo Beto, um carioca malandro (como não poderia deixar de ser). Tirou onda comigo e tudo mais!

Bikes e bagagens deixadas no quarto, fomos à praia! Era só virar a esquina! ;)
Escolhemos a mesa/cadeira defronte ao belo mar, pedimos nossa cervejinha, bolinho de bacalhau e curtimos!
































Depois de umas redondas, hora de cair na agua e lavar a alma!

Como chegamos no começo da tarde, tivemos um baita tempo pra fazer rolé pela Centro e aproveitamos pra comprar as passagens de volta na rodoviária.


















Voltamos no começo da noite pra pousada, com pretexto de cochilar antes de sair pra jantar, mas adivinhem? O cochilo virou sono pesado. Eu me lembro de ter acordado pra lá das 23hrs...daí fiquei por ali mesmo, só curtindo meu merecido sono. O mesmo fez o Einstein.

Na manhã seguinte, acordei super cedo e fui tirar algumas fotos, ver o mar pela manhã, respirar um pouco mais do ar da cidade.

Inevitável não plagiar uma foto que o Waldson tirou quando esteve por lá:
















Quando voltei, Einstein já havia acordado, e então fizemos o ritual de arrumas as coisas, como se fôssemos pedalar mais um dia, mas esse pedal seria só até a rodoviária.

Tomamos café, pegamos as bikes e seguimos pro destino final: O busão que nos traria pra SP.
Antes de chegar lá, passamos no banco e numa loja de utilidades pra comprar sacos de lixo pra embalar as bikes. Isso nos foi solicitado pelo pessoal da empresa de ônibus.
Não gostei muito, mas como não gostamos de criar caso:

















A do Einstein ficou muitíssimo bem embalada:
















Tudo no seu devido lugar, vamos iniciar o retorno! Não sem antes, registrar os dois amigos dentro do busão:
















O ônibus partiu de Paraty/RJ as 9:40 e chegamos em SP por volta de 15:30.
Durante o caminho, acessando a internet, fomos avisados que o dia 22/09 era o Dia Mundial Sem Carro. Imaginamos que seria um dia onde seríamos respeitados, nem que fosse um pouquinho só.

Chegamos ao Tietê, desembalamos e montamos as bikes e fomos pedalando até a casa do Einstein. Não preciso nem dizer que, como sempre, ninguém ligou à mínima e deixar o carro em casa ou respeitar os usuários de outros meios de transporte.

Mesmo assim, nosso passeio chegou ao fim sem maiores problemas!

Sem dúvida, foi uma linda viagem!
Agora os agradecimentos!!!

Obrigado ao Altíssimo, que esteve sempre conosco, dando-nos serenidade, força e paciência!

Obrigado ao Einstein, companheirão de trip, que se apaixonou recentemente pelo Cicloturismo. Teve garra, não desistiu quando a coisa ficou preta, teve sempre bom-humor e não deixava a peteca cair!
Parabéns Brother!

Obrigado ao Antigão, amigão que está sempre pronto pra ajudar. Sem a ajuda dele, as coisas teriam sido um pouco mais difíceis.

Obrigado ao Elcio por ter saído da cama cedo, pra levar o seu "Presente de Grego" (a barraca de 4,5kg) pra gente!
Brincadeira, Brother!!! A barraca deu muita emoção no pedal! Valews mesmo!!!

Obrigado a todos os amigos que, direta ou indiretamente, ajudaram e acompanharam nossas peripécias pelo Fórum, Twitter, Telefone, Transmissão de Pensamento e demais meios de comunicação!

Obrigado à você, que está lendo esse relato, apesar do péssimo Português!
Escrevo o relato com o maior carinho pra vocês, que querem vencer o meo e cair na estrada ou estão buscando inspiração para um novo desafio!
Da mesma maneira que sou inspirado por muitos dos relatos que leio, tenho a pretensão de, mesmo que só um pouquinho, inspirá-los também!!!

Como diria Barak Obama, "Yes, We Can!"

Fim do Dia 4!
Os dados sobre o Dia 4:
Distancia Ubatuba/Paraty  - 78,81km
Média - 19,9km/h
Velocidade Máxima: 68,7km/h
Tempo de pedal: 3:56'50"

Final do Relato!

4 comentários:

Waldson Gutierres (Antigão) disse...

Falar o quê? Nem tenho palavras para descrever a emoção que senti ao ler este relato e ver as fotos!
Que saudades dessas belas paisagens!
PARABÉNS!!! Pedais assim só me incentivam a cair nessas nossas maravilhosas estradas e se integrar totalmente com a natureza. Obrigado aos dois por dividirem conosco esse belo passeio!

FabioTux® disse...

Como assim, Antigão? É ao contrário! Você (e outros grande amigos) é que inspiram a mim e a muitas outras pessoas!
Não é segredo que, além de ser meu amigo, você é meu ídolo no cicloturismo! ;)

E que venham as estradas.
A propósito, o Sr. está devendo um pedal conosco! ;) Que a oportunidade apareça logo!

Abração Antigão!!!

Maya disse...

Acompanhei de longe essa viagem e, desde os preparativos, fiquei morrendo de vontade de estar sofrendo, digo, digo... Me divertindo junto!!

Parabéns pelo pedal!
E que venham os próximos! (Comigo inclusa! Né?!)

Vinicius (vini-sv) disse...

Parabéns Fábio e Einstein pela bela viagem!!!

Lendo seu relato, também me fez recordar da minha viagem, com o meu amigo Roger para Ilhabela, no ano passado... ôoo saudade de pedalar pela Rio-Santos.

Grande abraço.