segunda-feira, 1 de outubro de 2012

De Santiago à Mendoza - Parte 1

Santiago - Los Andes
¡Buenas Hermano(a)s!

Conforme disse no Prólogo, entre os dias 29/09 e 11/10, eu faria uma Cicloviagem entre Santiago/CHL e Mendoza/ARG.

Vou dividir os relatos por "Dias de Pedal", assim fica mais fácil e divertido (pelo menos pra mim) contar essa fantástica aventura!

Comecemos...

Na véspera, dia 28/09, voltei do trabalho e fui correndo pra casa pra fechar e pesar as malas, já que não comprei franquia adicional para minha bagagem.
Tinha que dar um jeito de levar minha Bici (dentro do Mala-Bike), material de camping, roupas, calçados e outras miudezas.

Só no Girinho, alforjes, mochila, etc e tal!
A viagem ocorreria no seguinte esquema: dia 29/09 eu embarcaria para Santiago e no dia seguinte encontraria meus dois companheiros de viagem, Artur Vieira e Davi Marski.

Voo em solo chileno, peguei um táxi, que já tinha sido solicitado pelos meus anfitriões, Jonatas (um amigo brazuka das antigas) e sua Esposa, MJ (a quem ainda não conhecia).

A recepção foi espetacular. Fui recebido com o maior carinho pelo casal, que já tinha um belíssimo almoço preparado.
Passamos a tarde de papo e tomando vinho. Depois demos um rolê pelas imediações de seu bairro e mais a noite fomos a um churrasco na casa dos Pais da MJ.

Senti-me um tanto encabulado por não ter habilidade com o espanhol, mas fui (novamente) muitíssimo bem recebido por todos. Aliás, pareceu-me que o chileno é um povo extremamente hospitaleiro! Todos fizeram esforço pra falar devagar e pra me compreender e quando não dava certo, o Jonatas fazia o "meio de campo...foi fantástico!
Passei momentos incríveis lá, conversando com todos, contando um pouquinho da aventura que estava por vir.


















Ah...uma especialidade chilena: Tortilla de rescoldo (assada entre brasas e cinzas da churrasqueira)
No dia 30/10, dia em que meus dois companheiros de viagem chegariam, combinamos de nos encontrar no famoso Mall Sports, um shopping de esportes.

Passeamos pelo shopping, "caroçamos" em lojas de bicicleta, mas nada de encontrar os brothers.

Depois de um tempo, resolvemos almoçar. E não é que antes mesmo de nosso pedido chegar os malandros apareceram?
Artur, Davi, Jonatas, MJ, Eu!
Durante o rango, os rapazes nos contaram suas peripécias: eles chegaram na madrugada, dormiram nos bancos do aeroporto, foram logo cedo pro Mall Sports, mas tiveram que andar por vias alternativas, já que os "Carabineros de Chile" (equivalem a Polícia Militar no Brasil), fizeram compras, sairam do Mall pra almoçar, voltaram pro Mall e nos encontraram...UFA!

Estavam tão cansados que o coitado do Davi chegou a dormir na mesa. O motivo dessa "maluquice" é que ambos ficaram sem jeito de acordar o host deles e resolveram ir pro seu "pouso" só depois que nos encontrassem.

Bem...depois de um bom papo, os brothers seguiram pro seu local de descanso e eu ainda fiquei com o Jô/MJ.

No dia 01/10, começamos a "trabalhar"! Combinamos que eu iria até a casa do host deles, o Eric, e de lá seguiríamos pra primeira meta do dia: Los Andes.

Por conta do horário de verão, Jonatas, MJ e eu acordamos atrasados. Por algum motivo, os nossos celulares não sincronizaram corretamente o horário.
O resultado disso é que eu cheguei atrasado a casa do Eric.

Artur, Davi e Eric
As 10hrs pegamos a estrada. Não deu nem 2km e o Artur já tinha um belo rasgo no pneu, por conta de cacos de vidro. Paramos pro primeiro reparo.
Artur c/ a sua Surly e eu só de olho!
Trocamos a câmara, remendamos a furada e seguimos até encontrar um lugar pra comer.
Fizemos as primeiras compras e foi justamente aí que começou uma palhaçada que duraria toda a minha permanência na trip: "Ah...o Tux leva!"

Aconteceu de encontrarmo na Loja de Conveniência, garrafas de vinho com preços módicos. Compramos um "Casillero del Diablo" e sobrou pra mim carregá-lo até a meta.

Enfim...fizemos nossas compras, dividimos o peso (sobrando o vinho pra mim) e seguimos viagem.

Pouco antes de sair da cidade, ainda fizemos uma parada numa bicicletaria bem simples, onde comprei um pneu 700 pra minha Só no Girinho, pois o pneu dianteiro estava com um rasgo na lateral que logo iria me causar problemas.
Aproveitamos para comprar um pisca pro capacete do Davi!

Pedalamos por uns 10km aproximadamente, até que finalmente saímos do perímetro urbano e entramos na "AutoPista".
Seguimos num ritmo bem tranquilo...o tempo estava nublado, mas sem perspectiva de chuva, o que nos garantiu um pedal bem confortável.

Nesse primeiro trecho fizemos uma constatação que nos seguiria durante a cicloviagem: Os motoristas chilenos são muito educados no transito.
Caminhoneiros trocam de faixa pra nos ultrapassar e os motoristas de carros de passeio aguardam pacientemente a melhor oportunidade pra passar do nosso lado com segurança.
Teve até um caso de eu sinalizar pra uma motorista nos ultrapassar, mas ela esperou até que ELA tivesse 100% segura que podia fazê-lo. E se você acha que ela nos xingou ou deu um "buzinaço", pode mudar de opinião! Ela abriu um grande sorriso, deu "tchauzinho" e seguiu seu caminho.

Essa cena, já no começo da viagem, ergueu nosso moral de uma forma absurda! Sabíamos que faríamos uma viagem muito segura, tanto por nossos próprios cuidados, quanto pelo cuidado dos outros usuários da AutoPista.

Seguindo por uma pista lateral, ficamos um pouco preocupados quando vimos a placa de proibição de tráfego de bicicletas e um pedágio logo a frente.
Matutamos um pouco sobre o assunto e vimos que dava pra pegar uma pista auxiliar, subindo por um pequeno barrando, só pra não passar pelo pedágio.

Resolvido esse problema, um pouco de preocupação ficou no ar...mas seguimos.

Na Autopista, muito bem asfaltada e com um ótimo acostamento, saímos de Santiago e começamos a entrar na cidade de Colina.

Com uns 40km rodados, fizemos uma parada pra um lanche, junto a um ponto de ônibus, em frente a uma área militar.
Ficamos uns 35min alí, papeando e comendo, recuperando as energias pra fazer os outros 40km restantes.

Seguimos num ritmo um pouco mais lento, pois alí começava uma sequencia de subidas! Melhor poupar forças!
Ai ai ai..será que vai queimar perninha?! Vamos "Só no Girinho"!
Uma cena um tanto inusitada e muito emocionante (pra mim) aconteceu quando passamos perto de uma escolinha. Devia ser horário de entrada ou saída e tinha uma garotadinha de uns 9, 10 anos mais ou menos. Quando eles nos avistaram, ficaram gritando "dale, dale" e uma voz se sobressaiu às outras, dizendo "olha, olha...eu também quero pedalar como eles!!!"
Ao ouvir isso, meus olhos brilharam e eu senti um grande orgulho, pois eventualmente uma daquelas crianças poderia se inspirar a virar um cicloviajante quando ficasse um pouco mais velha.
Emoção pura que ainda me arrepia quando eu conto!

Com essa injeção de ânimo e alegria, seguimos por mais uns 23km, quando chegamos a um túnel.
Como não é permitido pedalar por dentro do túnel, o pessoal que toma conta de um posto de atendimento da rodovia sempre tem uma caminhonete pra nos levar pra outra ponta.

Ao chegarmos ao tal posto de atendimento, antes de pedir qualquer outra coisa, Davi indagou um dos senhores se havia água! Nossas caramanholas estavam no limite!
Nos foi permitido entrar no posto, usar o banheiro e pegar água fresquinha!

Caramanholas cheias, bexigas vazias, colocamos as bikes na caminhonete e seguimos pro túnel.

O Sr. foi muitíssimo simpático, bateu um papo conosco e nos deixou do outro lado do túnel, pra começarmos uma loooooonga descida...algo como uns 7km!

Depois disso, tivemos só "falsos planos" até a cidade de Los Andes.
Quando chegamos, paramos num Posto de Informações Turísticas e conseguimos indicações de lugar pra dormir: Hospedaria e Restaurante Arunco.

Ao chegarmos, demos de cara com o dono abrindo o local, lá pelas 17:30hrs.
O Sr. (que não recordo o nome) era um Argentino muito simpático. Rapidamente subimos pro quarto (que ficava no andar de cima, já que em baixo era o restaurante).

Comemoramos nosso primeiro dia de pedal, sorvendo a garrafa de Casillero del Diablo, tomamos banho, comemos um macarrão instantâneo e saímos pra uma volta.

Passamos ao lado de uma bikeshop simples, mas com muita coisa boa! Conversamos um pouco, ganhamos uns adesivos e seguimos pras compras de suprimentos.
Durante a compra dos suprimentos, mais uma vez o "Ah...o Tux leva!" apareceu: encontramos uma CAIXA DE VINHO de 2L SANTA HELENA!

No começo, os caras fizeram de conta que estavam com dó de mim...mas acabou que a tal caixa de vinho veio pro meu bagageiro!
Além dessa caixa, ainda pegamos outra garrafa de vinho pra beber no quarto, afinal "Tá Cedo", lembrou o Davi (abraço pra galera do "Tá Cedo").

Com as compras feitas, hora de uma jantinha de verdade, com direito a uma cervejinha chilena!


E depois, quarto, papo, notícias e...



Ainda não tínhamos decidido se puxaríamos o ritmo até o topo de "Los Caracoles" ou se acamparíamos aos seus pés...então logo fomos descansar!

A frase que eu ouvia durante o sono era "Amanhã o Dia Promete..."!

E foi assim que fui, ou melhor, fomos dormir!

Stats:
Total Percorrido: 81,8km
Ride Time: 05:22'39"
Trip Time: 08:29'
Média: 15,2km/h
Máxima: 65,3km/h
Desnível: +1653/-1409m
Baixas: Furo no pneu traseiro do Artur.


2 comentários:

Tati Tamie disse...

Abraço recebido, já que eu faço parte do Tá Cedo! Hehehehehehe! Muuuuuito legal ver o relato de vocês. Não tenho dúvida que a viagem foi maravilhosa. Pontinha de inveja. O respeito aos ciclistas é algo que sempre me emociona, já que em nossas terras somos tratados como forasteiros..
Mais legal é ver os relatos dos três. A mesma viagem, o mesmo caminho, todos juntos, e a percepção única de cada um! Não há nada como viajar!
Saudades! Vamos marcar um pedal sem 15 furos, ok? Bjossss!

Beto Angelon disse...

Fabio, estou me vendo em 2006 quando passei de bike por este caminho que fez, com um pequeno detalhe ao inverso, sentido Mendoza Santiago, tanto os Chileno como os Argentinos são muito educados no transito, principalmente quando estamos de bike, nao nos fecham mesmo, para não dizer que não tive uma buzinada de advertencia, perto de Rio Cuarto, numa pista simples, dois caminhões iriam se cruzar bem ao meu lado, o motorista que vinha no mesmo sentido ao perceber deu uma buzinada bem curta e ao longe já prevendo a proximodade do outro caminhão que vinha, para quem não pedalou na Argentina, não existe acostamento e andamos na pista.
Convidei o FernandoBraz e NCabral para fazer este teu percurso, é simplismente maravilhoso abs Beto