sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Dia 03 - Entrando Numa Fria: Cicloviagem à Serra Gaúcha

¡Buenas!

Eita noite boa! Dormi que nem criança!
Mas apesar disso, acordei por volta das 7h30, pra tomar café e aproveitar bem o dia. Queria ir no tal "Caminho de Pedras".

Tirei as tralhas da bike e fui somente com a bolsa top rack.
Apesar de ter acordado cedo, só fui sair da pousada por volta das 9h30.

Pensei que seria mais difícil encontrar o caminho certo, mas o GPS ajudou bastante! Pouco antes das 10h já estava numa espécie de quiosque de informações sobre o Caminho, mas estava fechado.
Passei no posto de combustíveis ao lado, comprei agua e "toquei ficha" caminho adentro.

A estrada é bem bonita e tranquila e tem uma loooooonga descida no seu início. Prenúncio de uma volta demorada e cansativa...hehehe!

A primeira das casas de pedra surgem rapidamente:

Casa Righesso, construída em 1889 (obviamente fora reformada ao longo do tempo)
Não muito tempo depois, cheguei a uma outra casa que na verdade era um restaurante. Como era muito cedo, estava fechada ao público, mas pude tirar umas fotos.

Restaurante Nona Ludia
Enquanto tirava essa foto, passou um senhor com uma pick-up Strada e me cumprimentou. Três minutos depois, ele volta, dizendo que também era ciclista.
Atravessei a rua pra prosear com ele. Tratava-se do Senhor Monte-Mezzo, um morador do local, que também gosta de cicloviagens e pedais cascudos, encarados semanalmente com um grupo de amigos.

Ele me deu várias dicas de percursos, falou de estradinhas de terra, lugares bonitos, de algumas viagens...ficamos uns 30 minutos papeando até que resolvemos seguir nossos rumos!

Ao longo do caminho, várias paisagens bonitas, que instigavam a vontade de parar e contemplar.



Passei por vários lugares muito interessantes, pequenas lojas, vinícolas, a Casa da Ovelha e até a locação onde fora filmado "O Quatrilho".
Seguindo em frente, cheguei ao local que queria: A Casa da Erva Mate. 



Aqui pode se acompanhar o processo de produção artesanal da Erva Mate, produto mais valioso que ouro pro gaúcho! Também é possível degustar o Chimarrão, mas eu não o fiz. Achei que estava muito calor pra tomar, hehehe!

Pensei em seguir em frente e, quem sabe, fazer a volta pra pousada por outro percurso, mas percebi que não haveria restaurantes no caminho, então resolvi voltar por onde vim!

Conforme havia planejado, passei na Vinícola Salvati & Sirena, uma construção bastante interessante, onde é possível degustar os vinhos e sucos de uva.


Depois de umas provinhas do vinho, segui na estrada até a Casa das Massas e Artesanato. Imaginei que era um restaurante, mas conversando com a proprietária, descobri que eles vendem massas artesanais e alguns outros itens, como cachaças, doces, tortas e é claro, artesanato local.




Segui pedalando e quando pensei que não, já estava no Restaurante Nona Ludia e num horário perfeito pra almoçar! 13h.
Entrei e fui muito bem recepcionado. 

O cardápio na verdade é uma espécie de rodízio. Você tem entradas fantásticas, como tábua de frios, salada, pão colonial, seguido por carnes assadas (frango, porco, vaca e ovelha) e massas caseiras. Tudo muito farto e extremamente saboroso.

Depois de comer como um Rei, deliciei-me com um pudinzinho de leite, um cafézinho e fui pra fora do restaurante, tomar um sol junto às arvores, em mesinhas de concreto que naquele momento estavam servindo de "sala de espera". 

Retomei os pedais de forma bem lenta, já que ainda estava "jiboiando", mas logo cheguei à cidade novamente.
Dei uma volta pra ver um pouco mais do centrinho de Bento Gonçalves e logo fui pra pousada.

Ao chegar, a proprietária me aborda, perguntando se eu tinha conversado com um senhor na estrada. Ao responder que sim, ela disse que o Sr. Monte-Mezzo (amigo próximo dela) havia ligado e que gostaria de falar mais uma vez comigo, por telefone.

Trocamos contato e proseamos mais um bocado! O Senhor Monte-Mezzo realmente é uma daquelas pessoas apaixonadas por ciclismo e por uma boa prosa!

Depois da "troca de figurinhas", tomei um banho, bati um longo papo com meus colegas de quarto (estava num quarto coletivo) até que a noite chegou!

Saí pra jantar novamente no tal "shopping" e antes das 22h já estava de volta, pra descansar pro dia seguinte, que teria pedal longo, até Jaquirana...e a previsão do tempo já dava sinais de mudança!

É isso aí!

Pra quem quiser o tracklog e estatísticas: http://www.strava.com/activities/169871034

Até o próximo!

¡Brazo!


Nenhum comentário: